Envie seu whats:
(54) 99673-0977


VARIEDADES

Pedra nos rins e na vesícula têm a mesma causa? E o tratamento é igual?Pedra nos rins e na vesícula têm a mesma causa? E o tratamento é igual?

Publicado em 15/10/2018, Por Dr. José David Kartabil – Médico Urologista

Cálculo renal, conhecido popularmente como "Pedra no rim", é uma pequena massa sólida formada a partir de pequenos cristais.

Têm como causas mais frequentes o volume insuficiente de urina causado por desidratação ou pouca ingesta diária de líquidos, distúrbios metabólicos que resultam em excesso de excreção urinária de cálcio, fosfato, oxalatos e cistina, além da pouca excreção urinária de citrato, distúrbios metabólicos do ácido úrico e da glândula paratireóide e, por fim, obstrução das vias urinárias.

Ele pode ser isolado ou múltiplo em um mesmo paciente. Quando presentes nos rins, mais frequentemente, são assintomáticos. Os cálculos renais originam sintomas, como a cólica renal, quando se deslocam a partir do rim pelos ureteres em direção à bexiga e uretra. Ou seja, provocam sintomas no momento em que o corpo humano tenta eliminá-los. Em geral, essas crises são fortes, podem ser acompanhadas por náuseas, vômitos, dor região lombar, testículo, vagina, urgência miccional, e requerem atendimento médico-hospitalar.

As pedras na vesícula, ou "Cálculos Biliares", se referem à presença de um ou mais cálculos na vesícula biliar. Alguns fatores de risco que levam à formação de cálculos biliares, incluem mulheres em idade fértil, obesidade e dieta rica em gordura.

O sistema de dutos biliares (duto cístico, hepáticos e duto colédoco) comunicam a vesícula biliar à primeira porção do intestino delgado, conhecida como duodeno.

A bile, produzida no fígado é armazenada na vesícula biliar, a qual é necessária à digestão e absorção de gorduras segue o caminho dos dutos biliares. Os cálculos biliares são formados pela aglomeração de cristais, problemas de solubilidade do colesterol e das bilirrubinas (constituintes normais da bile) de causa pouco conhecida.

Alguns cálculos na vesícula podem ser assintomáticos, mas outros provocam dor intensa do lado direito superior do abdome que se irradia para a parte de cima da caixa torácica ou para as costelas. A dor normalmente aparece meia hora após uma refeição, atinge um pico de intensidade e diminui depois. Pode vir ou não acompanhada de febre, náuseas e vômitos.

O tratamento é bem diferente, para os cálculos biliares requer, salvo raras exceções, a remoção cirúrgica da vesícula biliar preferencialmente por via minimamente invasiva, video-laparoscopia (popularmente conhecida como cirurgia “à Laser”).

Já para os cálculos urinários utilizamos, a litotripsia e métodos endoscópicos, com fonte de energias diferentes e esse sim utilizamos em alguns casos o LASER, são mais frequentemente utilizados. Para muitos cálculos urinários, a eliminação espontânea pode ocorrer sem necessidade de intervenção cirúrgica.




Compartilhar: FACEBOOK

Podcasts

Ver + ENTREVISTA JCI Sananduva
ENTREVISTA LEO Clube Sananduva
Programa Passa a Bola Programa dia 12 de Outubro